X

Dance

Heraldo Bighetti Saudosistas da época dos filmes em preto e branco devem lembrar do prazer que era assistir Fred Astaire e Gene Kelly flutuando pelos sets de Hollywood. Acredito que […]

por Leonardo Trevisan
14/12/17

Heraldo Bighetti
Saudosistas da época dos filmes em preto e branco devem lembrar do prazer que era assistir Fred Astaire e Gene Kelly flutuando pelos sets de Hollywood. Acredito que era algo semelhante ao que senti quando assisti pela primeira vez o comercial do Tim Black. Intrigado fui buscar informações sobre quem era o dançarino, qual a música utilizada e sobre a coreografia fantástica. Bastou acessar a nossa memória coletiva (o Google) para saber que o rapaz era um fenômeno mundial. E, que em alguns países, ele virara um pop star. Sven Otten é o nome dele. Mas pode chamar de JustSomeMotion que ele prefere. Prefere também utilizar como trilha o gênero musical electro swing (ou neo swing), criado por um outro austríaco, Parov Stelar. Ou Marcus Füreder, seu nome de nascença.

Até o momento foram mais de 44 milhões de visualizações do clip que está no Youtube, colocado em 2013 e feito pelo Sven com a trilha All Night Long do Parov. Mas, por que viralizou?

Ken Robinson, o educador inglês e também um dos líderes em visualizações no TED tem uma possível explicação. A dança é uma das manifestações humanas da criatividade e também sua facilitadora. Sven criou um estilo de dança que mistura muitos estilos contemporâneos, transformando o corpo tão rígido e formal que habitamos em um contínuo de fluidez e leveza.
Parece que nos tornamos de novo crianças ao ver as quebras de movimento e torções inesperadas, loucos para tentar fazer igual. E é essa a proposta do JustSomeMotion: ensinar a dançar o estilo. A criatividade de Sven despertou em milhões de pessoas algo que havia sido esquecido, a própria criatividade.

Graças à publicidade, que utilizou dois de seus fundamentos: a inovação, para chamar a atenção; o personagem improvável de um dançarino solitário de chapéu. Assim, a linguagem criativa da dança retomou seu lugar como forma de comunicação, esquecida que estava na memória de cada um. Ou pior, censurada.

Infelizmente, a publicidade também impõe comerciais de gosto duvidoso e sem qualquer pertinência forma/mensagem/produto. A Avianca que se cuide com seu comercial estilo coreografia de programa de auditório. Mas é dança, vá lá.

Fecho, lembrando do Snoopy sobre sua casinha dançando alegremente e pensando: Dançar é viver.


Todos os direitos reservados, 2018.